Governo de Mato Grosso

Centro Integrado de Assistência Psicossocial

CAPS AD


1-ACOLHIMENTO-

A)O QUE É?
Atender ao cliente e aos familiares, seja pela primeira vez ou em vezes subseqüentes de forma centrada e disponível para escutar além dos dados pessoais e documentos de registro.
B)QUEM FAZ?
Qualquer técnico que se disponha a essa escuta com responsabilidade sobre ela.
C)QUANDO?
-Quando o cliente chega pela primeira vez ao CAPS, de forma espontânea ou encaminhado.
-cada vez que o cliente chega à unidade em situação de crise.
-acolher o familiar individualmente quando este vier acompanhando o cliente ou não.
D)COMO SE FAZ?
-pela primeira vez no CAPS é preciso preencher um formulário com dados pessoais , fazer escuta, realizar agendamentos para futuras avaliações.
-identificar se há necessidade de atendimento de emergência e havendo encaminhar ao Pronto Socorro de Cuiabá(casos clínicos prioritários a este tratamento ou síndrome de abstinência).
-identificar se há necessidade de atendimento de urgência e havendo encaminhar ao Pronto Atendimento do Adauto Botelho para avaliação e conduta.
E)POR QUÊ?
A fim de avaliar o sofrimento físico e psíquico do cliente quando este se apresenta ao serviço e dar encaminhamento às ações, informando, orientando, tratando ou encaminhando quando necessário aos serviços da rede de saúde.


2-CONFECÇÃO DE APAC`s
A)O QUE É?
Autorização de Procedimentos de Alta Complexidade.

B)QUEM FAZ?
Técnicos administrativos – geram as listas de pacientes novos e dos que continuam em tratamento para fomentar as APACs, digitar os dados no sistema.
PNS confeccionam as APCSs que futuramente serão digitadas e exportadas para o programa do setor de informação e assistência à saúde da SES.

C)QUANDO?
Levantamento mensal da lista e dos dados é feita a partir do dia 18 de cada mês.
Confecção da APAC é feita entre os dias 22 a 28 de cada mês.

D)COMO SE FAZ?

1-levantamento mensal da lista de clientes novos e dos que darão continuidade ao tratamento,
1.1-Buscar CEP do endereço fornecido na ficha de acolhimento do cliente,
1.2-Confeccionar o cartão SUS para aqueles que não tiverem.

2-A partir da listagem mensal é feito pelos PNS a contagem dos procedimentos das APCSs  vigentes e a relação das que precisarem ser iniciadas ou renovadas.

3-Encaminhar à SES solicitação de números novos de APCSs e respectivos formulários.

4-Confeccionar os APACs a partir do CID fornecido pelo médico assistente e autorizado pelo médico autorizador da SES que vem uma vez ao mês para essa tarefa.
4.1- os procedimentos contados para a APAC são:
-atendimentos individuais, sejam de acolhimento ou avaliação.
-atendimentos de grupo,
-consulta médica,
-visita domiciliar,
-assembléias.
*não são incluídos nas APACs como procedimento estudo de caso e contato telefônico, que são computados no BPA(boletim de procedimento ambulatorial)

4.2- as APACs podem ser de três modalidades diferentes:
-intensiva – máximo de 22 procedimentos ao mês.
- semi intensiva- máximo de 12 procedimentos
-não intensiva – máximo de 3 procedimentos ao mês.
* todas terão duração de 90 dias a partir da data de abertura da APAC.

5-Cabe ao assistente administrativo:
Digitar dados e exportação destes a fim de gerar relatório que terá uma cópia arquivada no CAPS  e  outra encaminhada ao setor de assistência em saúde da SES.
Conferir após 15 dias aproximadamente no sistema do GESIAS/SES, se houve consistência nos dados, aqueles que apresentarem inconsistência deverão ser refeitos para serem pagos em data subseqüente.

E)POR QUÊ?
Levantar mensalmente os dados em formulários específicos a fim de gerar recursos financeiros sobre o tratamento oferecido gerando também dados estatísticos de procedimentos.

3-ESTUDO DE CASO.
A)O QUE É?
É uma forma de dar direção aos casos atendidos, de fazer pesquisa, uma vez que nos reunimos para falar do paciente detalhando sua história, suas dificuldades, seu conflito, é um momento em que  se busca conhecer a estrutura do paciente, quais as intervenções necessárias em cada caso, quais as indicações de encaminhamento e /ou tratamento.

B)QUEM FAZ?
Todos os integrantes da equipe.

C)QUANDO?
Uma vez por semana, às quartas durante as reuniões de equipe.

D)COMO SE FAZ?
Baseado em uma lista de prontuários selecionados pelos técnicos da equipe, são feitos relatos do que foi ouvido por dois ou mais técnicos, discutido com a equipe que direção é a mais adequada para aquele caso/pessoa. A partir daí são feitos encaminhamentos, dadas altas, orientações, novos projetos terapêuticos, etc.

E)POR QUÊ?
Para que a partir da fala da equipe sobre os pacientes, mudanças subjetivas possam vir a ocorrer e com isso uma maior possibilidade de mudança na direção do tratamento proposto para determinada pessoa. A partir disso são gerados dados de informação sobre o número de pacientes atendidos, encaminhados, as altas, as melhoras,  transformando –as em alimento para o banco de dados e gerando recurso da clínica fomentando pesquisas.


4-BPA

A)O que é?
     Boletim de procedimento ambulatorial.

B)quem faz?
    1-os técnicos da equipe quando efetuam os atendimentos individuais, técnicos de enfermagem, assistente social, psicólogo, assistente administrativo, médicos, enfermeiro, terapeuta ocupacional, professor de educação física, arte terapeuta, etc.
    2- o assistente administrativo.

C) Quando?
      Diariamente são feitos os atendimentos. Mensalmente quando são contados os procedimentos para gerar dados.

D) Como se faz?
     Os dados gerados são contados e separados por técnicos que por sua vez são catalogados pelo assistente administrativo por idade dos clientes.
E)por quê?
   Servem como dados estatísticos de procedimentos e geram recursos financeiros para a unidade.


    

5-PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS.

A)o que é?

a- Digitar, arquivar, redigir e catalogar documentos oficiais (memorandos ,ofícios declarações,) b- Escalas de plantão,freqüências, BPA, APAC, formulários de atendimento em geral.
c- Estatísticas (SIM, caracterização da clientela em tratamento e em acolhimento.)
d- Alimentar o banco de dados com as informações de clientela atendida.
e-Receber e efetuar contatos telefônicos.
f-Atender, quando necessário na recepção da unidade.
g-Encaminhar documentos às diretorias do CIAPS.
h-Providenciar cópias de documentos e textos no CIAPS.
i-Contactar o moto boy para expedição de documentos.
j-Manter atualizados os dados do CENES.
 

B)quem faz?
Assistente administrativo e apoio do SUS.
C)quando?
Diariamente ou mensalmente, de acordo com a periodicidade da tarefa.
D)como se faz?
a- digitar no computador os documentos oficiais, obedecendo as normas de redações técnicas e após a expedição ou recebimento arquivá-los em pastas AZ de acordo com sua função (recebidos ou expedidos).
b-mensalmente digitar as escalas de freqüência  de todos os técnicos da unidade e de plantão daqueles que são plantonistas em formulários padronizados pela SES. APAC e BPA, conforme já descrito.
c- SIM- a partir da relação de pacientes do mês, catalogar a modalidade de tratamento, o motivo do tratamento, encaminhamentos, altas, tipo de altas, número de pacientes inscritos, total de acolhimento do mês, todos separados por sexo e faixa etária; também são informados o número de atividades realizadas pela equipe no mês.
CARATERIZAÇÃO DA CLIENTELA- A partir da relação de pacientes do mês catalogar estado civil, situação empregatícia, sexo, egresso,primeira vez ou subseqüente, procedência, diagnóstico, escolaridade, situação do ensino, tipos de altas, motivos das altas por outras intercorrências, modalidades de tratamento, encaminhamentos, tipos de solicitações para alta a pedido, tipos de usuários, tipos de drogas usadas entre monousuários, tipos de drogas mais usadas entre poliusuários, faixa etária. Esta catalogação é feita para pacientes em acolhimento e para aqueles que já estão em tratamento.
d-o assistente administrativo  diariamente pega a ficha de acolhimento  que foi preenchida pelo técnico e guardado na caixa de acolhimentos para alimentar o banco de dados da clientela que é operacionalizado no ACCES.
e- atender aos telefonemas e prestar informações necessárias.
f- atender a clientela na recepção informando-as sobre o funcionamento da unidade, se necessário.
g- entregar em mãos os memorandos expedidos quando dirigidos aos setores do CIAPS Adauto Botelho.
h- separar os formulários e outros documentos que serão fotocopiados no CIAPS Adauto Botelho.
i- entrar em contato com o moto boy sempre que tiver documentos expedidos para outras instituições ou órgãos fora do CIAPS Adauto Botelho.
j- sempre que houver alterações no quadro de servidores da unidade, fazer as devidas alterações no CENES.

E) Por quê?
Para manter o andamento de documentos, dados, estatísticas , atualização cadastral e dar suporte  de atendimento de rotina à equipe do CAPS.
6-GRUPO DE ESTUDO.

A)O que é?
Consiste em dar uma direção teórica ao trabalho desenvolvido na unidade, a partir de leitura de textos ou artigos relacionados com nosso trabalho.
B)Quem faz?
Toda equipe do CAPS.
C)Quando?
Quinzenalmente, às quartas feiras no período matutino.

D)Como se faz?
A partir de textos ou artigos fazemos leitura e discussão de como esse teoria se aplica a nosso trabalho e como essa leitura vem suscitar novas questões e novas direções dentro de um projeto terapêutico e nas políticas de ações do CAPS ad.

E)Por quê?
Pela necessidade de se ter uma direção de trabalho técnico, construindo uma alternativa de capacitação continuada da equipe.

7-VISITA DOMICILIAR.
A)o que? 
 O deslocamento dos profissionais do CAPS-AD até a residência dos pacientes, que previamente autorizaram, definidas em estudos de caso ou solicitado pelos clientes.
B)Quem faz  
Os técnicos do Caps
C)Quando?
  Em dias previamente agendados, em que a unidade conta com a disponibilidade do transporte
D)como se faz?
Organizar os prontuários de todos os períodos de tratamento e acolhimento, previamente separados na pasta de visita, por regiões com objetivo de otimizar o tempo e a distancia. Preferencialmente  com dois profissionais, sendo que um deles deverá ser PNS dos SUS. 
F)Por quê?
A fim de conhecer a realidade psicossocial e econômica da família, conhecer sua dinâmica familiar complementando a avaliação tomando as diferentes realidades.
Tem ainda a finalidade de implicar os familiares no tratamento fortalecendo o convite para que participem dos grupos e atividades dirigidas aos familiares no CAPS ad.

8-CONSULTA E/OU AVALIAÇÃO.
A)o que é?
Levantamento histórico da vida do cliente, escuta da demanda atual com intervenções necessárias e cabíveis naquele momento.
B)quem faz?
Profissionais de nível superior como assistente social, psicóloga, médico psiquiatra, médico clínico, enfermeira e terapeuta ocupacional.
C)quando?
Na ocasião dos agendamentos, geralmente no período subseqüente ao acolhimento, podendo ser agendada a qualquer tempo durante o tratamento.
D)como se faz?
 Através da escuta no âmbito do saber de cada profissional.
E)por quê?
 A fim de avaliar o sofrimento físico e psíquico do sujeito, planejar as intervenções, subsidiando a elaboração do projeto terapêutico individual.

9-GRUPOS TERAPÊUTICOS.
A)o que é?
 São grupos com características diversasque promovem um espaço de fala e construção de diferentes formas, tendo porém uma direção comum no sentido amplo do cuidado, implicando cada qual em suas escolhas e conduta.

B)quem faz?
 Realizado por técnicos da área de saúde, em escalas previamente estabelecidas.
 Auxiliado pela equipe de apoio.
C)quando?
 Diariamente acontecem grupos diferentes, coordenados por profissionais de áreas diversas como psicologia, serviço social, enfermagem, terapia ocupacional, técnicos de enfermagem, professor de educação física, arte terapia, etc.

D)como se faz?
 1- o profissional responsável pelo grupo programa uma atividade norteadora, essa atividade pode seguir na direção prevista ou ser alterada em parte por intervenção de um membro do grupo. A atividade pode durar de 90 a 120 minutos ou mais se assim for necessário.
 2- o responsável separa os prontuários e dirige-se á sala de grupo.
 3- após o grupo o profissional evolui os prontuários avaliando  e observando a  participação de cada cliente.
 4- atende eventual demanda individual, realiza contatos telefônicos para os ausentes e arquiva os prontuários, podendo esta tarefa ser realizada pela equipe de apoio.
 5-A equipe de apoio é responsável PR todo registro das atividades nos livros específicos de assinatura de presença e de registro de atividades diárias.

E)por quê?
 A fim de construir a dinâmica oferecida pelo CAPS  como tratamento.
 Pela necessidade de organização dos prontuários gerando dados obrigatórios de controle e avaliação do serviço, oferecendo dados para pesquisas e estatísticas.
   
     

 10-PRONTUÁRIOS
A)O QUE É?
É uma pasta onde são agrupados todos os documentos referentes ao cliente.
B)QUEM FAZ?
O técnico de enfermagem, prioritáriamente, podendo ser montado por qualquer profissional da equipe.
C)QUANDO?
É montado a partir da assinatura do projeto terapêutico.
D)COMO SE FAZ?
A partir da assinatura do projeto terapêutico, é montado na seguinte ordem:
a-Ficha de acolhimento.
b-Encaminhamento, caso exista.( existindo vários, seguir a ordem decrescente de data).
c-Projeto terapêutico.( existindo vários, seguir a ordem decrescente de data).
d-Evolução seguindo a ordem cronológica.
e-Avaliações. ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
f-Entrevista com familiar. ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
g-Declarações. ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
h-Atestados . ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
i-Guias de encaminhamento. ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
j-Cópias das APAC´s. ( existindo várias, seguir a ordem decrescente de data).
k-Trabalhos realizados nas atividades de grupo ou individual que mereçam ser arquivada.
O prontuário é registrado em livro com sequência numérica e com esse mesmo número é feito um registro no banco de dados.
A partir disso o prontuário é arquivado em ordem alfabética, de acordo com o horário de tratamento estabelecido no projeto terapêutico.
Após alta ou abandono os prontuários deixam o arquivo  corrente e são arquivados em arquivo permanente, disponíveis para eventual retorno do cliente.
E)POR QUÊ?
- Caracterizar a história de cada cliente e construir o projeto terapêutico individual.
- Alimentar o banco de dados
- Fomentar pesquisas.

 

.