Governo de Mato Grosso

Notícia

12/03/2019 - Rose Velasco SES/MT

Rede Cegonha traz avanços à atenção integral da saúde da mulher em Mato Grosso

Rede Cegonha/ASCOM

Rede Cegonha/ASCOM

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, instituída pelo Ministério da Saúde e reformulada em 2004, vem sendo desenvolvida em Mato Grosso pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT). O programa apresenta resultados positivos no sentido de resgate da credibilidade de serviços e avanços.

Coordenadora de Ações Programáticas Estratégicas (COAPRE) da Superintendência de Atenção à Saúde da SES-MT, Aline Régia Ribeiro, destaca que o programa “Rede Cegonha” obteve consideráveis avanços em Mato Grosso.

De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia estabelece “uma rede de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério, bem como assegurar às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis”. 

A rede existe nos municípios da baixada cuiabana, no Hospital Santa Casa de Rondonópolis – que foi o primeiro centro de parto normal do Estado – e na Capital. “Com a implantação da Rede Cegonha, por exemplo, o município de Várzea Grande voltou a realizar partos no Pronto Socorro”, ressaltou a coordenadora.

Avanços

Na Região da Baixada Cuiabana, houve o Acolhimento com Classificação de Risco em três maternidades, o repasse de recurso financeiro para reforma do Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande e a reabilitação de UTI neonatal.

Na Região Sul Mato-grossense, houve a criação de equipes do cuidado nos serviços de atenção obstétrica e neonatal da Santa Casa de Rondonópolis; a implantação e fortalecimento do Banco de Leite; o repasse de recurso financeiro para a reforma da maternidade em Rondonópolis e Jaciara e Construção do Centro de Parto Normal; e a regionalização da aplicação do Palivizumabe (medicamento indicado para aumentar a proteção de crianças contra a infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório).

O Hospital Geral Universitário de Cuiabá e o Hospital Universitário Júlio Müller implantaram e habilitaram 13 e oito leitos, respectivamente, de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Convencional, Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Canguru e de pré-parto, parto e puerpério.

Já o Hospital Santa Helena ampliou oito leitos da UTI Neonatal e implantou sete leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Convencional e de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Canguru. O Hospital Municipal de Jaciara realiza reforma e implantou dois leitos pré-parto, parto e puerpério.

A Santa Casa e Maternidade de Rondonópolis implantou um Centro de Parto Normal com cinco leitos, reabilitou o Serviço de Referência à Gestação de Alto Risco tipo II; ampliou sete leitos de UTI Neonatal e implantou 23 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Convencional, de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal Canguru e de UTI pediátrica.

Mais Notícias

Ler mais notícias